terça-feira, 13 de novembro de 2007

gulyásleves com tarhonya

Nada melhor que um bom vinho e uma fumegante sopa, para aquecer as noites frias do outono.
Esta, é basicamente um gulyash, que com mais caldo, virou sopa. Bem acompanhada da tarhonya, massa típica da Hungria que se parece com grãos de cevada, facilmente encontrada em lojas de produtos étnicos. Quando dourada em azeite ou manteiga antes de ser cozida, ganha cor, sabor e textura interessantes.
Ingredientes:

1/2 kg paleta sem osso, cortada em cubos
1 cebola picada
2 tomates sem pele e sementes
1 colher (sopa) de páprica picante
1 colher (sopa) de páprica doce
1 pitada de noz-moscada
3 colheres (sopa) de azeite
2 batatas medias em cubos (que serão acrescentadas no final do cozimento, já sem pressão)
sal
pimenta moída
salsa fresca picada
Água o quanto baste

Modo de preparar:
Tire a carne da geladeira algum tempo antes do preparo para que atinja a temperatura ambiente. Na panela de pressão, aqueça a azeite e acrescente a cebola. Frite-a até ficar amarelada. Quando começar a dourar, junte os cubos de carne e frite-os até que fiquem bem dourados, mexendo sempre. Acrescente a páprica picante, o sal e a noz-moscada, sem parar de mexer. Junte os tomates e a agua. Tampe a panela e deixe cozinhar por 25 minutos. A carne deverá estar macia. Tire a pressão, acrescente a batata. Quando a batata estiver cozida, junte a páprica doce, acerte o sal e coloque a pimenta moída, estando pronta, sirva com a tarhonya que foi preparada assim: Esquentar 1 colher (sopa) de azeite, juntar 1 xícara de tarhonya e misturar bem até ficar bem dourada, juntar 2 xícaras de água e cozinhar até ficar macia.

3 comentários:

fezoca disse...

Odete, estou numa fase de sopa-todo-dia, entao vou copiar sua receita, que adorei! ;-) um beijo,

Marly disse...

olá, Odete,
Essa sopa está com um aspecto super convidativo. Vou ter de procurar esse ingrediente húngaro!
Eu tentei deixar um comentário no post anterior e não consegui (não sei porque). Desejo que você e os seus tenham sempre mais e mais motivos para serem gratos! Felicidades para todos!
Um beijo!

Cristina disse...

Oi Odete
Adorei encontrar seu blog. Sou filha de húngara com rumeno e por acaso casei-me com um descendente de húngaros.
Em todos os eventos da família, minha sogra tem que fazer o Torhonya, o pessoal é louco por isso! O mais incrível é que ela faz a massa em casa e diz que fica muito melhor que o comprado pronto.
Arrependi-me de não ter anotado algumas receitinhas da minha mãe antes dela ter ido embora. Qualquer dia vou tentar fazer a receita da minha sogra e se der certo vou garantir o Torhonya para meu marido depois que a mãezinha dele for embora.
Abraços