segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Spaghetti squash assada



Com a chegada do Outono, chegam também as abóboras maduras, muitas, de diversos tipos e cores. Aqui gostamos muito, e há sempre chance de testar novas receitas.
Desta vez fiz o spaghetti squash com base na receita da revista Living Janeiro/08.
Dobrei as quantidades para atender meus convidados no almoço de Sábado. Servi na própria casca, e cada um usou os temperos a gosto. Acompanhado de camarões e vieiras a provençal e salada mix de folhas e tomates.

Receita original.
Ingredientes:
1 spaghetti squash - casca bem lavada - cortadas ao meio no comprimento e sementes removidas
1 col. (sopa) de azeite de oliva extra virgem
1 col. (sopa) de açúcar mascavo
Sal marinho e pimenta-do-reino moídos na hora

1/2 xic. de queijo parmesão ralado
1/2 xic. de salsa picada
1 xic. de coentro picado
1/4 xic. de avelãs sem pele tostadas e picadas grosseiramente

Preparo:
Pré-aqueça o forno. Unte a parte interna dos squash com azeite e salpique o açúcar, sal e pimenta a gosto. Coloque em tabuleiro com a parte cortada para baixo e asse ate ficarem macias, em torno de 45 minutos.
Retire do forno e deixe esfriar por mais ou menos 10 minutos. Com ajuda de um garfo "cave" e remova o interior mantendo os "spaghettis" sem quebra-los muito. Coloque em uma tigela, tempere com azeite, parmesão, salsa, coentro, avelãs, sal e pimenta a gosto. Misture bem e sirva imediatamente.

domingo, 28 de setembro de 2008

Basil-lemon Cake


Sala de espera em consultório medico, esta longe de ser lugar bom de se ficar muito tempo. Felizmente aqui pouco se espera, pois os horários marcados costumam ser respeitados e são cumpridos com bastante pontualidade. De minha parte, procuro sempre chegar um pouco adiantada, não gosto de chegar esbaforida aos lugares. Com isso da sempre tempo de correr os olhos no jornal do dia, ou nas revistas disponíveis. E sabe, nem sei porque, mas acabo sempre esbarrando em artigos sobre comida!!! hehehe
Assim encontrei essa receita, no San Jose Mercury News, que trás todas as 4ªs o caderno "Food+Wine". Este bolo estava entre algumas receitas sugeridas para um picnic perfeito, na edição de 3 de Setembro. Achei interessante a combinação dos ingredientes e resolvi fazê-lo. Ainda bem, pois saiu-se delicioso e teve tamanha aprovação que já tenho pedidos para que seja repetido logo.
Receita
Ingredientes
2 xic. de farinha de trigo
1/2 xic. de farinha de coco*
2 1/2 col. (chá) de fermento em pó
1/2 col. (chá) de sal - usei bem menos
1 xic. de manteiga sem sal, amolecida
1 1/2 de açúcar
2 ovos grandes
1/2 xic. de manjericão fresco picado
2 col. (sopa) de raspas (zest) de limão siciliano
1 col. (cha) de extrato puro de baunilha
1 3/4 xic. de buttermilk

1 1/2 xic. de amoras frescas para acompanhar (opcional)

Preparo: Pré-aqueça o forno, unte e enfarinhe a forma. Em uma tigela combine as farinhas, o fermento e o sal.
Na tigela da batedeira junte o açúcar e a manteiga e bata ate ficar cremoso. Ainda batendo, adicione os ovos, um a um, a baunilha, as raspas de limão e o manjericão. Aos poucos junte a mistura de farinhas alternadamente com o buttermilk, bata em velocidade baixa ate estar homogéneo.
Despeje na forma e leve para assar por 35 a 45 minutos - depende do forno - sempre bom fazer o teste com o palito.
Deixe esfriar sobre uma grade. Sirva com as amoras frescas ou outra fruta da preferência.
(*) Usei a farinha de coco apropriada para fazer macaroon.

Notas:
O bolo fica úmido e bastante aromático. Fiz numa forma retangular, mas acho que numa forma redonda ficaria melhor.

A receita original faz menção que o bolo é ainda melhor no dia seguinte. É verdade! Mas dependendo do numero de pessoas, talvez nunca se vá saber... não sobra.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Spaghetti de Jerusalem Artichoke

Sou uma eterna curiosa. Agora que disponho de mais tempo, sempre que vou as compras estou xeretando por novidades e produtos de boa qualidade, que necessariamente tenham preços justos e não me levem a falência.
Descobri essas massas feitas com um tubérculo bem interessante, a Jerusalem artichoke, facilmente encontrado por aqui, e que é bem versátil e gostoso.
Traduzindo literalmente o nome, Alcachofra de Jerusalém ou Tupinambor, como explicado aqui , encontrando graças a ajuda do santo Google.

Paradoxo?! Sim, as alcachofras "normais" não são tubérculos e essas são.

Ok, vamos ao spaghetti, que por sinal é muito bom.

Cozinhei o spaghetti conforme instruções da embalagem.

Enquanto isso, fritei 2 fatias de bacon e depois deixei secando a gordura sobre papel toalha. Descartei a gordura soltada pelo bacon. Na mesma frigideira coloquei 2 col. (sopa) de azeite de oliva, 2 alhos espremidos e salteei um maço de agrião. Temperei com sal e pimenta moídos na hora.
Servi sobre o spaghetti, com as lasquinhas de bacon por cima.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Earl Grey Cupcakes with Lemon Buttercream





Estes cupcakes fiz para minha primeira participação no Cha da Tarde, criado pelas queridas Cris e Leila.
Desde que vi essa receita aqui , fiquei tentada a fazer porque o Earl Grey, é um dos chás que mais gosto. O creme de manteiga com limão faz uma combinação perfeita.
Buttercream é muito popular por aqui, mas devo admitir que é bem doce e calórico.
Para adaptar ao gosto aqui de casa, resolvi fazer só 1/3 da cobertura e deixei os outros bolinhos sem. Estou colocando a receita inteira, mas pode-se dosar à vontade e conveniência.

Earl Grey Cupcakes with Lemon Buttercream
Ingredientes:
1 xic. de manteiga sem sal em temperatura ambiente
2 xic. de açúcar
4 ovos
3 xic. de farinha de trigo
1 col. (sopa) de fermento em pó
1 xic. de leite
2 saquinhos de earl grey tea

Preparo: Pré-aqueça o forno, unte as formas de cupcakes ou coloque as forminhas de papel. Numa tigela comum ou da batedeira, bata a manteiga ate ficar cremosa. Adicione o açúcar e bata ate ficar leve e fofa. Adicione os ovos, de um em um e bata bem entre cada adição. Junte metade da farinha já misturada com o fermento e ao conteúdo dos dois saquinhos de chá. Adicione o leite e o restante da farinha e misture bem ate incorporar todos os ingredientes. Distribua a massa em porções iguais por 24 forminhas pequenas - ou doze grandes - enchendo ate 2/3 da capacidade. Asse por 20 a 25 minutos. Leve a esfriar sobre uma grade.

Cobertura: Lemon Buttercream
1 xic. de manteiga sem sal em temperatura ambiente
4 xic. de açúcar de confeiteiro
raspas de um limão siciliano - não misturei ao creme, mas coloquei sobre os cupcakes
3 col. (sopa) de limoncello ou suco de limão siciliano - usei o licor
Bata a manteiga ate ficar macia e gradualmente junte o açúcar ate a mistura ficar bem fofa. Adiciona as raspas de limão, o limoncello ou suco e incorpore bem. Cubra os cupcakes.
Obs.: Coberturas de buttercream devem ser servidas em temperatura ambiente.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Aloha! Mahi-Mahi in Macadamia Nut Crust

prato pronto
raiz de taro para o pure
peixe
nos

Quem nunca ouviu falar no Havai? Provavelmente todos ja. Seja pela histórica batalha de Pearl Harbor , a fama do surf em ondas gigantes, natureza diversa, praias paradisíacas, musica e dança contagiantes, os filmes de Elvis Presley e tantas outras coisas.
Conhecer o Havai foi por muito tempo um sonho distante. Bem diferente do que eh para a maioria dos "average americans" pois Hawaii é para eles destino bem corriqueiro de ferias. Também muitas empresas daqui levam vez ou outra seus eventos aquelas ilhas. Geo já havia estado la uma vez, na ilha Maui.
Em Outubro de 2006, esse sonho se realizou. Fizemos nossa viagem ao Havaí, para comemorar o aniversario do Geo. O destino foi a ilha de Oahu, mais precisamente Honolulu, e nosso hotel na linda praia de Waikiki. Adorei tudo. Desde a chegada saudada com musica, sorrisos, Aloha e Lei, os lindos colares de flores trançadas. O povo, natureza, historia, cultura e costumes, tudo fascinante, que levaria paginas a descrever.
Tivemos a inusitada surpresa de poder ver, da varanda do restaurante onde jantávamos, o lançamento da segunda temporada do seriado Lost, num telão instalado na praia, com a presença de todos os atores, incluindo o talentoso Rodrigo Santoro. E claro, uma multidão de fãs.

Falando em comida, que comida fantástica, numa profusão de produtos frescos.
Nem preciso dizer nada sobre os peixes e frutos do mar, afinal o Hawaii é um conjunto de ilhas na imensidão azul do oceano pacifico.

Tentei reproduzir um peixe delicioso, bem comum nos menus dos restaurantes Havaianos e de preparo bem simples.

Mahi-Mahi in Macadamia Nut Crust
4 files de mahi mahi
1 1/4 xic. de macadamia triturada (*)
1/2 xic. de panko - farelo de pão, japonês
2 col. (sopa) de azeite
2 col. (sopa) de leite de coco
sal e pimenta moídos
Preparo:
Misture a macadamia triturada e o panko.
Tempere os files com sal e pimenta. Passe-os pelo leite de coco e empane com a mistura de macadamia e panko.
Numa frigideira de ferro com o azeite coloque os files ainda com a frigideira morna. (Isso evita que a crosta se queime antes do peixe estar cozido.) Continue em fogo baixo ate que fique dourado. Vire cuidadosamente com uma espátula fina de metal e deixe dourar. Se preferir pode-se levar ao broiler para dourar a parte de cima do peixe. Eu os virei sem problemas, pois esse eh um peixe bem firme.
Servi com puré de Taro e salada mista.

(*) Macadamia eh largamente cultivada no Havaí, mas acho que castanha de caju daria muito bem.
Fonte: Me inspirei aqui, mas fiz do jeito que achei melhor, e resultou bem.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Gratefulness!!!


Gratidão é o sentimento que domina minha alma hoje .

Estou feliz, e meu coração transborda de alegria. Completei minhas seis semanas de tratamento, e Graças a Deus tudo correu bem. Hoje mais do que nunca, me sinto forte, vendo o milagre da vida que se renova a cada dia. Me sinto abençoada.
Quero dividir minha alegria, e do fundo do coração sou agradecida a todos que de alguma forma contribuíram para que essa vitoria fosse possível.
Pela generosidade das preces, pelos pensamentos positivos, pelas palavras de animo;

Muito obrigada, que Deus os abençoe!


Um beijo carinhoso.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Quinoa Tostada na Salada

Aqui em casa gostamos muito de quinoa e comemos sempre, bem mais que o arroz.
A primeira vez que a vi e comprei foi nessa food coop. Já tinha lido muito sobre os valores nutritivos, e queria muito experimentar. Nesse mercado, conheci uma moça muito simpática, que me deu algumas dicas de como prepara-la, uma delas foi tostar os grãos ligeiramente antes de cozinha-los, pois ganham um sabor "nutty" muito bom.

Esta salada fiz com os grãos tostados. Para isso basta colocar a quinoa seca numa panela de fundo grosso levar ao fogo baixo e ir mexendo a panela de um lado para o outro por alguns minutos ate que os grãos fiquem levemente dourados. As bolinhas estalam e pulam como pipocas. Acrescente a agua (muito cuidado nessa hora, vai gerar muito vapor por causa da panela quente).
Usei:
1 xic. de Quinoa branca
2 xic. de agua filtrada
Deixei cozinhar semi-tampada. Quando os grãos estavam macios desliguei e deixei esfriar, depois soltei os grãos com um garfo - mesmo processo do couscous.
Misturei sobras de salmão assado, em pedacinhos, um mix de folhas e ervas frescas e reguei com um molho de yogurt grego com dill, sal e pimenta. Cobri com um fio de azeite.

Nota: Mais informações e receitas aqui

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Russian Honey Cake e cenas de um leve brunch de domingo



A receita desse bolo me foi dada pela vizinha russa. Bem simples e muito gostoso. Acompanha bem café e chá. Servido com frutas e sorvete pode arrematar uma refeição leve ao ar livre, aproveitando os últimos dias quentes do verão.

Bolo Russo de Mel

Ingredientes:
3 ovos grandes
3/4 xic. açúcar
3/4 xic. mel
1/3 xic. óleo vegetal - usei de sementes de uvas
3 col. (sopa) de suco de laranja
1 1/2 col. (sopa) de sour cream
1 1/2 col. (chá) de casca de laranja ralada
2 2/3 cix. de farinha de trigo
3/4 col. (chá) de bicarbonato de sódio
3/4 col. (chá) de fermento em pó
3/4 col. (chá) de canela moída
1/2 xic. (chá) de uvas passas pretas, sem sementes

Preparo:
Unte uma forma de buraco no meio, com óleo e enfarinhe.
Aqueça o forno.
Sobre uma folha de papel manteiga, peneire juntos, a farinha, bicarbonato, fermento e canela. Reserve.
Na batedeira, ou numa tigela grande, bata bem os ovos, açúcar e o mel. Diminua a velocidade e junte o óleo, suco de laranja, sour cream e as raspas de laranja ate incorporar bem.
Aos poucos junte a mistura de farinha, fermento, bicarbonato e canela. Nesse ponto não bata muito só misture ate obter uma massa homogénea. Coloque as uvas passas salpicadas em farinha. (A farinha ajuda para que as passas se distribuam pelo meio do bolo e não afundem durante o cozimento). Coloque na forma untada e enfarinhada e leve pra assar por 45 minutos. Sempre bom fazer o teste do palito pra checar se esta cozido no meio.
Depois de assado coloque sobre uma grade ate esfriar.

domingo, 14 de setembro de 2008

English Muffins


Há quem os ache totalmente sem graça. Conheci e aprendi a gostar deles quando fui trabalhar em NY, e por um bom tempo estiveram presentes no meu café-da-manha. Integral ou branquinhos são sempre bem-vindos. A neutralidade desses muffins torna-os bastante versáteis, e aceitam bem complementos doces e salgados.
Me lembro que uma vez de volta a São Paulo, de tanto falar pra minha irmã sobre as glorias desse muffin, aticei nela a vontade urgente de experimenta-los. Fomos então a busca que não foi fácil, mas acabamos encontrado. De volta em casa, enquanto ela prepara o café eu os parti ao meio e coloquei pra tostar. Tudo pronto, minha irmã deu a primeira mordida e já vi indo embora a satisfação seguida do comentário; que coisa mais sem graça, como e que você pode gostar tanto disso?! Well, eu gosto.
Sempre os compro prontos, mas agora ando num atrevimento sem fronteiras e resolvi fazê-los. Deixei para fazê-los no fim da tarde, já que estas estão ficando mais frescas, pois os fiz na chapa da churrasqueira. Usei esta receita e este modo de fazer . A semolina que não usei fez falta para se criar a crosta. Fica pra próxima...
Ingredientes:
1 3/4 xic. de leite morno
1 3/4 de agua morna
3 col. (sopa) de manteiga derretida
1 1/4 col. (chá) de sal
2 col. (sopa) de acucar
1 ovo grande
3 col. (sopa) de farinha de batata
3 xic. de farinha e trigo
2 col. (chá) fermento seco para pão
Semolina suficiente para salpicar antes de colocar os muffins na chapa (não tinha, então não usei)
Preparo: Combine todos os ingredientes (exceto a semolina), na tigela da batedeira ou numa tigela qualquer. Misture muito bem ate combinar tudo. Se usar a batedeira, coloque o batedor em forma de pá e bata em alta velocidade por 5 minutos. A massa ficara macia, elástica e com brilho. Raspe as beiradas da tigela, cubra e deixe a massa crescer por 90 minutos, ate dobrar o volume.
Aquecer a chapa a 150ºC (se não tiver chapa use uma frigideira de ferro sobre chama, veja nota*), quando já estiver quente coloque um aro de metal (veja nota**) bem untado sobre a chapa e salpique a semolina dentro da área do aro. Semolina dará aos muffins uma crosta típica.
Como a massa rende 12 muffins, separe doze partes iguais de massa e coloque uma a uma dentro dos aros, salpicando um pouco de semolina no topo. Passados 7 minutos de uma olhada no fundo que devera estar levemente dourada, se não estiver aumente a chama, se estiver muito dourada, diminua a chama. Deixe assar por mais 10 minutos. Com o auxilio de "tongs" agarre e levante as beiradas do aro que devera se soltar ao ser levantado. Com a espátula vire os muffins. Mesmo que os aros não se soltem, vire os muffins assim mesmo e tente gentilmente remover os aros. Asse desse lado em torno de 15 a 18 minutos ate ficarem dourado forte. Deverão estar bem cozidos por dentro. Abra um e teste. Se precisar volte a chapa por alguns minutos mais.
Quando estiverem prontos transfira para uma grade ate esfriar. Depois de frios podem ser guardados em saco plástico.
Nota*: Na frigideira, o processo será mais demorado e dependendo do tamanho da frigideira poderá se acomodado mais que um muffin de cada vez.
Nota**: Se não tiver os aros próprios para english muffins, latas vazias de atum abertas dos dois lados e bem lavadas, farão a mesma função.

pale greens & fall is just around the corner

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Chicken Piccata

Esse franguinho já é bem manjado aqui em casa. Quando falta inspiração é ele que pinta na área. A receita é bem simples, de fácil preparo e o resultado agrada com o "up" dado pelas alcaparras.

Ingredientes:
2 peitos de frango cortados em 4 files
1/2 xic. de farinha de trigo
Sal e pimenta a gosto
2 col. (sopa) de azeite de oliva
1 shallot* pequena ralada
3/4 xic. de vinho branco
2 col. (sopa) de suco de limão
2 col. (sopa) de alcaparras - enxaguadas para retirar o excesso de sal e escorridas
Preparo:
Coloque os files de frango entre 2 folhas de filme plástico sobre uma tábua e usando o martelo de carne ou o fundo de uma frigideira, bata para torna-los bem fininhos. Faca isso um de cada vez. Tempere os files com sal e pimenta e passe-os pela farinha de trigo e retire o excesso.
Aqueça uma frigideira - de preferência de fundo grosso - e frite os files um a um no azeite, ate ficarem levemente dourados. Retire e mantenha-os aquecidos.
Na mesma frigideira em fogo baixo, refogue levemente a shallot - se precisar acrescente um pouco mais de azeite, junte o vinho, o suco de limão e as alcaparras esmagadas. Retorne os files a frigideira de deixe tomar gosto por 3 minutos. Salpique salsa picada e sirva.

Vai bem sobre linguine, batatas cozidas ou como no meu caso, com legumes cozidos no vapor.

* Shallot é um tipo de cebola pequena de sabor suave.

Falafel & Tzatziki Sauce





Acho que falafel deve ser um parente bem próximo do Acarajé, talvez sejam mesmo primos. Eu gosto dos dois.
Nas ultimas semanas desde que comecei meu tratamento, todas as manhas a caminho do hospital tenho que passar em frente ao falafel-drive-in. Isso mesmo, não leu errado não, um drive-in, no melhor estilo Californiano. O lugar é bem pequeno e simples, tipo pé pra fora ou sujinho, e esta sempre cheio. Apesar de gostar muito de Falafel e sentir o apelo diário, resisti e não parei para experimentar. Por circunstancias tenho que tomar cuidados mais rigorosos com o que como. Mas com a vontade crescendo, resolvi que iria eu mesma preparar alguns. Ontem coloquei os grãos de molho e hoje o resultado esta aqui. Ficaram deliciosos e foi nosso jantar. Servi com pão pita e vegetais crus regados a Tzatziki - um molho grego - receitas abaixo.
Ingredientes
1 3/4 xic. de grão-de-bico
2 dentes de alho esmagados
1 cebola pequena cortada em quatro
1 col. (chá) de sementes de coentro em pó
1 col. (sopa) de cominho em pó
1 col. (chá) rasa de pimenta cayenne, ou a gosto
1 xic. de folhas de salsa ou coentro picados - usei os dois meio a meio
1 col. (chá) de sal
1/2 col. (chá) de pimenta-do-reino
1/2 col. (chá) de bicarbonato de sódio
1 col. (sopa) de suco de limão
Óleo neutro para a fritura - usei óleo de semente de uva
Preparo:
1. Coloque os grãos numa tigela com 6 xícaras de agua fria filtrada e deixe de molho por 24 horas. Vão triplicar de tamanho. Se necessário coloque mais agua para manter os grãos submersos.
2. Escorra bem os grãos (reserve um pouco da agua). Transfira os grãos para o processador de alimentos e adicione o restante dos ingredientes - menos o óleo. Tenha o cuidado de de vez em quando raspar as beiradas para que tudo fique bem misturado. Se necessário para facilitar o processamento adicione um pouco da agua reservada, mas não mais que 1 a 2 colheres (sopa). Prove e corrija os temperos a gosto.
3. Como não queria fazer fritura de imersão, com porções da massa fiz pequenos falafels em forma hamburguers e fritei com pouco óleo em frigideira.

*Para fritar em imersão como sugere a receita original; coloque bastante óleo em uma panela funda e larga, quando o óleo estiver bem quente, frite os falafels em pequenas quantidades por vez. Ficam bem dourados em menos de 5 minutos.
Use a ajuda de uma colher de sopa para forma-los redondos, ou uma colher de chá para fazer bolinhas menores.
Servir quente ou em temperatura ambiente.
Source: nytimes

Tzatziki - Molho
3 pepinos persas ralado grosso e colocado sobre uma peneira para escorrer todo o liquido.
1 xic. de yogurt grego - ou outro yogurt escorrido para ficar mais denso
1 dente de alho passado pelo espremedor bem fininho
1 col. (sopa) azeite de oliva
1 col. (sopa) de suco de limão
sal e pimenta moídos a gosto
dill ou hortelã frescos a gosto - usei hortelã
Misturar bem todos os ingredientes e servir.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Igualdade...

Igualdade não é só uma palavra. É sim, o grande anseio da imensa maioria de nos humanos. A querida Elba, uma mulher linda e de múltiplos talentos, que tive o prazer de conhecer através desse blog, criou este selinho lindo para homenagear os Médicos sem Fronteiras, uma organização humanitária que vale a pena ser conhecida e divulgada.
São gestos generosos como os deles, e o dela, que faz com que a Igualdade deixe de ser uma utopia e vire realidade.
Obrigada Elba.

Pão de Queijo - Brazilian Cheesy Rolls

Na procura por um blog com receitas brasileiras em inglês, para indicar a um amigo, me deparei com essa receita. E sabe-se, uma nova receita de pão de queijo nunca é demais. Acabei fazendo para servir no chá com minha visinha russa que adora pão de queijo. A pressa era tamanha que nem consegui deixa-los pegar mais cor. Mas mesmo assim, pálidos, ficaram muito bons, com casquinha crocante por fora e cremoso por dentro. A pedido da vizinha, estou postando a receita tambem em inglês, copiada tal qual, do site do Cuca
Ingredientes:
500g de polvilho azedo
2 xic. de leite
1 xic. de oleo
4 ovos
2 xic. de queijo ralado - usei uma mistura de queijo mexicano Panela e Parmesão
sal a gosto
Preparo:
Ferva juntos, leite, oleo e sal. Numa tigela grande coloque o polvilho e sobre este despeje a mistura quente e mexa bem com uma colher de pau. A principio a mistura ficara um pouco encaroçada. Deixe esfriar, junte os ovos e o queijo, incorpore bem a massa e misture ate obter uma massa lisa e homogenea. Forme pequenas bolas e coloque em assadeira deixando espaço entre elas para crescerem. Leve para assar em forno quente 190ºC por 15 minutos, reduza a tempratura para 160ºC e asse por mais 15 minutos ou ate ficarem dourados.

English version
Brazilian Cheesy Rolls
Ingredients:
500g Sour Cassava Starch (Polvilho Azedo)
2 cups of milk
1 cup of cooking oil
4 eggs
2 cups of grated cheese
salt to taste
How to prepare:
Boil the milk the oil and salt together. Pour the hot mixture it into a large bowl with the sour starch and mix with a wooden spoon. The mixture will look like a large ball of gummy paste. Let it cool and mix in the cheese and the eggs. Get your hands in there and squelch everything together into a smooth thick dough. Grab chucks of it with your fingers and roll in the palm of your hands making little balls just smaller than a golf ball.
Place the dough balls on a tray. The balls will grow around 20-30% when they cook, so leave some space between them. Place them in the top shelf of your oven at 190c and let them grow for 15 minutes. Reduce the temperature (around 160c) and cook for another 15 minutes. They should look golden brown and crackly and crusty outside. But inside they will still be nice and gooey… and cheesy!

domingo, 7 de setembro de 2008

Brasil, Feliz Dia da Independencia!

Esta é minha homenagem bem simplisinha a Patria Mae, no aniversario de sua independência. Escolhi essa foto porque essa linda paisagem já fez parte do meu dia-a-dia. A Ilha Porchat, ao fundo na foto, foi por uma temporada minha morada, de onde avistava a grande bandeira no alto do morro a indicar a intensidade dos ventos.
"A maior Bandeira Brasileira hasteada em mastro, com 630 m² e 110 quilos, está localizada no Morro dos Barbosas, em São Vicente. Ao avistá-la, o turista respira o clima de nacionalismo que esta Cidade histórica possui. Diversos pontos turísticos e construções remetem a fatos da fundação da primeira vila do País e da história daqueles que desbravaram e colonizaram o litoral brasileiro".

Foto fonte de dados: daqui

sábado, 6 de setembro de 2008

Carinho é sempre bem-vindo...

Obrigada Guida por esse carinho em forma de mimo. Teria que escolher a quem repassa-lo, entao vou dedica-lo a todos os blogs que gosto de visitar.





sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Elderflower Sherbet - Gelado de Flor de Sabugueiro


Quando criança ouvi dizer que chá de flor de Sabugueiro era bom para baixar a febre do sarampo.
Aqui nos US a conhecemos por Elderflower e na Hungria é Bodza.
Foi na Hungria que conheci outros usos para flor e frutos do Sabugueiro, que vão alem da medicina popular. George cresceu tomando um tipo de refresco feito com Cordial e agua com gás. O pai dele usava os frutos - pequenas berries - para incrementar a cor dos vinhos tintos que produzia em sua pequena vinícola.
Com as flores é preparado o Cordial, um xarope concentrado. Também tem o famoso licor francês St. Germain feito com flores colhidas nos Alpes. Tem ate receita da flor empanada "fritters", conforme receita aqui. E ainda geleias, etc.
Aqui em casa sempre temos uma garrafa de Cordial, os filhos e os amigos sempre trazem das viagens. Por isso quando vi a receita desse Sherbet na edição de Julho da Martha Stewart Living, coloquei logo na minha "to do list", mas muitos acontecimentos vieram e passou. Agora com essa onda de calor forte castigando por aqui, só gelados e mais gelados para amenizar. Esbarrei na garrafa de Cordial na geladeira e lembrei da receita que aqui esta, por sinal muito fácil.
Ingredientes:
1 xic. de açúcar - usei cru

1/2 xic. de agua filtrada

2 xic. de buttermilk*

3/4 xic. de leite

1/4 xic de Cordial

2 col. (sopa) de St. Germain licor - adição por minha conta

Preparo:
Prepare uma bacia com agua e gelo e reserve.

Coloque o açúcar e a agua numa panela e leve a ferver ate dissolver bem. Ferva por 2 minutos ate virar um xarope.

Numa tigela misture buttermilk, leite e Cordial e junte a mistura de agua e açúcar. Misture bem. Coloque a tigela na bacia de agua com gelo e deixe a mistura ficar completamente fria.

Adicione o licor, coloque a mistura para a sorveteira e use de acordo com as instruções do fabricante. Depois de pronto, transfira para uma vasilha que possa ir ao freezer e congele ate estar firme, em torno de uma hora.
Nota: Pode ser mantido na freezer por ate 5 dias.

* Para quem não consegue comprar buttermilk pronto para uso; pode fazê-lo em casa mesmo. Basta adicionar 1 col. (sopa) de suco de limão ou 1 1/4 de col. (chá) de vinagre para cada xícara (240ml) de leite. Deixar descansar por 20 minutos em temperatura ambiente e esta pronto pra uso.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Pequenas coisas

e achados interessantes fizeram o meu dia.
um livrinho de 500 paginas, que precisar não precisava, mas quem resiste a "bargain" de $9.99

e mais: um rolinho de madeira pequeno $1.99 (esse tava precisando, mesmo) e essas canequinhas $0,99 cada - bem charmosas pra servir canela e cacau em pó no cappuccino.

Banana Crumb Muffins




Para salvar algumas bananas que com o calor que anda fazendo, estavam extremamente maduras. Eu as transformei nesses muffins, que me lembraram muito mini cucas de banana. Ficaram mesmo muito gostosos. Com o tamanho de forminhas que usei, renderam 12 muffins.

Ingredientes:
1 1/2 xic. de farinha de trigo
1 col.(cha) de bicarbonato de sodio
1 col. (cha) de fermento em po
1/2 col. (cha) de sal
3 bananas amassadas - as que usei eram grandes
3/4 xic. de acucar branco - usei 2/4 de acucar cru organico
1 ovo ligeiramente batido
3/4 xic. de manteiga derretida - usei oleo de sementes de uva

crumb
3/4 xic. de acucar mascavo
2 col. (sopa) de farinha de trigo
1/8 col. (cha) de canela moida
1 col. (sopa) de manteiga

Preparo:
Pre-aqueca o forno a 375ºF (190ºC). Unte levemente 10 formas de muffins ou forre-as com forminhas de papel.
Numa tigela grande misture a farinha, bicarbonato, fermento e sal. Numa outra tigela bata juntos as bananas, acucar, o ovo e a manteiga. Juntar a mistura de banana com a mistura da farinha so para agregar sem misturar muito. Colocar em colhereadas nas forminhas preparadas.
Crumb: Numa tigela pequena misture o acucar mascavo, a farinha, a canela e a manteiga ate ficar como uma farofa. Distribua essa mistura por cima dos muffins e leve para assar por 18 a 20 minutos ou faca o teste do palito, ate sair limpo. Retire do forno e deixe esfriar sobre uma grade.

English version

Ingredients:
1 1/2 cups all-purpose flour
1 teaspoon baking soda
1 teaspoon baking powder
1/2 teaspoon salt
3 bananas, mashed
3/4 cup white sugar
1 egg, lightly beaten
1/3 cup butter, melted
1/3 cup packed brown sugar
2 tablespoons all-purpose flour
1/8 teaspoon ground cinnamon
1 tablespoon butter
Directions:
Preheat oven to 375 degrees F (190 degrees C). Lightly grease 10 muffin cups, or line with muffin papers.
In a large bowl, mix together 1 1/2 cups flour, baking soda, baking powder and salt. In another bowl, beat together bananas, sugar, egg and melted butter. Stir the banana mixture into the flour mixture just until moistened. Spoon batter into prepared muffin cups.
In a small bowl, mix together brown sugar, 2 tablespoons flour and cinnamon. Cut in 1 tablespoon butter until mixture resembles coarse cornmeal. Sprinkle topping over muffins.
Bake in preheated oven for 18 to 20 minutes, until a toothpick inserted into center of a muffin comes out clean.

Fonte: all recipes >

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Hungarian Plum Dumpling - Szilvásgombóc - Ameixa




Alguns cheiros e sabores da infância nos acompanharão por toda a vida. Quem não se lembra das gostosuras preparadas por nossa mãe, avós, tias e até pelas bisavós? Meu marido estrangeiro, também tem la seus “treats” de infância, que por circunstancias não são exatamente os meus. Mas a reação e o brilho nos olhos são os mesmos, diante das delicias que evocam a infância distante.
Para meu marido, dumpling de ameixa provavelmente significa o mesmo que bolinho de chuva para mim.
Ele sempre me conta com detalhes, como sua mãe os preparava e quão deliciosos eram.
Quando o verão chega, época de muitas ameixas, esses dumplings “szilvásgombóc”, são sem duvida, unanimidade entre os húngaros. Eles dizem que originalmente era um tipo de comida fácil e barata, com ingredientes simples, que se tinha sempre a mão. E sendo doce, agradava e satisfazia, principalmente as crianças. E continua agradando!!!
Também gosto muito, e já comi várias vezes, feitos aqui e também na Hungria, mas eu mesma nunca os tinha feito, ate então.
Já faz alguns dias, quando voltando das compras com três tipos diferentes de ameixas, meu bonitao me disse – ummm já faz tanto tempo que não como meus dumplings favoritos e as ameixas estão tão bonitas, pena que você não comprou a mais apropriada, senão poderíamos fazê-los. Isso me tocou, e pensei porque não? Fomos juntos comprar a ameixa certa, larguei a insegurança de lado, coloquei a mão na massa e fiz 42 dumplings. Ficaram deliciosos! A melhor parte disso tudo, foi ver a cara de satisfação dele a me dizer todo feliz - esta igualzinho ao da mamãe, bom demais!
Ele é mesmo um gentleman!
Fiz, com base na receita do livro da Horváth Ilona, Szakácskönyv, com tradução e dicas do Geo. Mais tarde googliando achei esse filme com o passo a passo.
Minha opinião sobre esses dumplings: “very clever” invenção. São saudáveis, cozidos em agua, doces na medida certa e parecem fritos no gosto e textura, por causa da farinha de pão torrada num pouquinho de manteiga, pode melhor!

Ingredientes da massa:
5 batatas grandes, cozidas e passadas pelo espremedor
1 ovo grande
1 col.(sopa) de óleo
1 pitada de sal
Farinha de trigo – o quanto baste para se chegar ao ponto de cortar
Esticar a massa e cortar em pequenos quadrados
Recheio:
1k. de ameixas orgânicas – usei “french plum” – que segundo Geo são as apropriadas
1 xic. de açúcar cristal – row – orgânico e canela moída a gosto
Lavar bem as ameixas, seca-las, cortar ao meio e retirar os caroços. Colocar cada metade de ameixa sobre quadrados de massa, dentro da cavidade da ameixa uma pitada de açúcar com canela. Fechar bem em formato de bola.
Cozinhar aos poucos em bastante agua fervente com sal. Quando subir a tona, estão cozidos. Retirar da agua e passa-los imediatamente na seguinte farofa:
2 xic. farinha de pão fina torrada com 2 col. (sopa) de manteiga.
Servir quente com açúcar de confeiteiro, se gostar.