terça-feira, 29 de janeiro de 2008

risotto do César



Para mim, amigos são conquistas genuínas. Especialmente por ser uma pessoa de vida nômade, o valor desses amigos conquistados, aqui e ali, em lugares tão diferentes, mantidos a distancia, representam muito. Representam boa parte daquilo que sou.
Tenho a felicidade de poder retornar depois de algum, as vezes muito tempo sem vê-los, e ser recebida como se os tivesse visto no dia anterior. E assim tem sido, com os meus amados amigos de São Paulo.
Eu e o maridão, vamos ao Brasil pelo menos uma vez ao ano, mas nem sempre temos o tempo que gostaríamos para nos dedicar aos amigos, visto ter também uma família grande e saudosa a nossa espera.
Tinha prometido ao nosso amigo César, que desta vez em Novembro nós nos encontrariamos, sem falta . Depois de 4 anos sem nos ver, só falando por telefone e e-mails, assim que ele soube da data da viagem, nos ligou para dar um ultimato: o primeiro jantar depois da chegada a SP, seria na casa dele. O convite / ordem foi tão explicito que nem me atrevi mencionar a possibilidade de um "jetlag" ou qualquer outra coisa.
E assim foi. Oito horas depois de aterrisarmos em Sampa, com malas extraviadas e caras de zumbi - lá estávamos nós, juntamente com o casal de amigos Ci e Fran, tocando a campanhia do lindo e novo AP do Cé.
Eita coisa boa, a porta se abre e duas caras sorridentes a nos saudar! Quanta saudade! Como é bom amigo, abraçar. O George ainda fica impressionado com a afetividade generosa dos amigos brasileiros.
Já na chegada uma elegante bandeja com finos pates, queijos e vinhos a nossa espera. O Fran, muito atencioso, trouxera o champanhe gelado para o brinde do reencontro.
Muito papo a rolar, novidades a contar, riso solto em gargalhadas...muita coisa pra brindar! Felicidade é isso mesmo, ter amigos e com eles estar!
Ah, e o jantar, o prato que o César iria preparar.
A Ci e eu, já havíamos experimentado das qualidades gourmet do moço, quando das viagens da nossa inseparável turma, que alias, não era bem uma turma, era mesmo uma família.
Já sabíamos que a comida ia ser boa...mas o que?! Nesse jantar, o moço mostrou-se aprimorado. O prato servido estava simplesmente "outstanding" delicioso! Observamos também, como ele é organizado. Havia preparado com antecedência todos os ingredientes e a cozinha em ordem total, resultando em 20 minutos, um risotto fumegante e cremoso.
A sobremesa foi um alfajor gigante, de doce de leite e chocolate -uma justa homenagem a argentina mais brasileira que conheço, Miriam.
Moço gente fina esse amigo, além de bom cozinheiro, tem talento pra receber tão bem! Sorte nossa, amigos dele, e sorte maior ainda, da Miriam que tem esse "chef" pra ela.
Aqui esta a receita do risotto (e fotos) que ele me autorizou publicar:
Ingredientes
½ maço de brócolis (floretes)
200g de lingüiça calabresa (sem pele) cortada em cubinhos
4 colheres ( sopa ) de manteiga
3 colheres ( sopa ) de cebola ralada
350 g de arroz arbóreo
200 ml de vinho tinto
1 1/2 litro de caldo (ou seja, caldo de galinha misturado a água do cozimento do brócolis)
Sal e pimenta-do-reino à gosto
4 colheres ( sopa ) de parmesão ralado
Preparo
Cozinhe o brócolis no vapor, pique e reserve, reserve também a água do cozimento. Frite a lingüiça e reserve. Na mesma panela, coloque uma colher (sopa) de manteiga ao fogo baixo, junte a cebola e refogue ate ficar transparente. Adicione o arroz e refogue por cerca de 3 minutos, mexendo sem parar, até que o arroz fique envolvido na manteiga e acrescente a lingüiça frita. Junte vinho e misture, deixando evaporar.Coloque duas conchas de caldo e misture, deixe ser absorvido e acrescente mais caldo sempre mexendo. Repita esta operação por cerca de 16 minutos, salgue levemente e coloque um pouco de pimenta-do-reino. Experimente o arroz e, se necessário, adicione mais caldo. Deixe-o al dente. Acrescente o brócolis, misture novamente e verifique o ponto do arroz. Apague o fogo, coloque a manteiga restante e o queijo parmesão, mexendo até incorporar tudo. Tampe a panela e deixe descansar por 2 minutos. Sirva em seguida. Dependendo do gosto, servir mais parmesao individualmente.
Dicas:
O parmesão ralado só deve ser acrescentado quando o arroz, ainda esta ligeiramente coberto pelas borbulhas, e al dente.

5 comentários:

Sylvia disse...

Cncordo plenamente com voce. Quando reencontro os meus amigos em Sao Paulo e como se tivesse sido ontem a ultima vez que os vi, Essas coisas sao tao boaaassss!!!

Seu blog é barbar tambem ja esta nos meus preferidos
Beijos

Fabrícia disse...

Quanto carinho e que delícia de receita.
Sou fãzoca de risotto....
Bjcas.

Cesar disse...

Dedé, obrigado pelo carinho!!!
Receber amigos e cozinhar para eles é sempre um grande prazer para mim.
Sua visita e do maridão foi muito gostosa, na verdade depois de quatro anos, parecia que havíamos falado no dia anterior. Que presente vocês me deram neste dia...fiquei realmente feliz e agora todos os anos que estiverem no Brasil haverá um prato novo.
Quanto a receita, ficou fiel!!
Beijo,

Odete disse...

Sylvia,
Obrigada pela visita,uma honra!
Eu estarei sempre dando uma espiada na sua cozinha e salivando com as delicias que voce prepara. bjs!

Fabricia, pois eh menina, carinho eh bom neh! Viu, estou de olho nas suas receitas com toque tunisiano, devem ser muito boas. bjs!

Cece,
Meu amigo, vamos repetir a dose com certeza. Mas antes da nossa proxima ida, estamos esperando sua vinda!!! beijao

Gourmandise disse...

Risotto é bem versátil e rápido de preparar. Fiz um com linguiça outro dia...
bjinho,
Nina.